Programa Portugal 2019
Programa Portugal 2019

Programa Portugal 2019

PROGRAMAÇÃO

International Uranium Film Festival 13 a 15 de Setembro de 2019 em Portugal, Urgeiriça (Nelas), Viseu e Mangualde.

URGEIRIÇA - SEXTA-FEIRA, 13 DE SETEMBRO DE 2019

 
17h30 - Receção dos Convidados / Cerimónia de Abertura
18h30 - Apresentação de um trabalho de investigação dos Alunos do Instituto Politécnico de Visei sobre o futuro museu Mineiro da Urgeiriça. 
19h00 - Jantar
20h30 - Sessão de filmes – Local: Casa do Pessoal das Minas da Urgeiriça. 

O MAL DA MINA 

Portugal, 2011, Direção Mafalda Gameiro, Produção Rádio Televisão Portuguesa - R.T.P, reportagem, Português, 29 min - Exploração de urânio em Portugal: reportagem que retrata o grave problema de saúde da população da Urgeiriça e de toda a zona de Viseu. Em causa estão inúmeros casos de pessoas que adoeceram e outras que faleceram vítimas de cancro. A reportagem "O Mal da Mina", de Mafalda Gameiro, foi distinguida com o prémio de jornalismo Novartis. Com presença da Mafalda Gameiro, Jornalista da R.T.P.

YELLOW CAKE. A SUJEIRA POR DETRÁS DO URÂNIO (CURTA-METRAGEM) 

Alemanha, 2010/2014, Direção Joachim Tschirner, documentário, Inglês, legendas em Português, 35 min -  A mina de Wismut, na Alemanha Oriental, foi a terceira maior mina de urânio do mundo. Com a reunificação alemã, o governo fechou a mina e começou a “limpar” esta herança radioativa. Foi a primeira tentativa no mundo de fazer o tratamento correto de uma mina de urânio, minimizando os impactos ambientais destas montanhas e lagoas cheias de rejeitados radioativos e tóxicos. Ainda pouca gente sabe de onde vem o minério que alimenta a nossa Era Nuclear, por isso este filme é fundamental para informar e educar o mundo. www.yellowcake-derfilm.de
 
Debate: “Os efeitos da radioatividade nos trabalhadores mineiros e na população envolvente às minas”. Mesa Redonda com: Ana Teresa - Professora da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra,  Carlos Diogo Cortes - Presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, João Pedro Pimentel - Departamento de Saúde Pública da ARSC.
 

VISEU - SÁBADO, 14 DE SETEMBRO DE 2019

 
9h00 – Abertura – Presidente da Câmara Municipal de Viseu. Local: Auditório da Escola Superior de Tecnologia 
9h30 - Sessão de filmes 

CEM ANOS DA URGEIRIÇA

Portugal/Inglaterra, 2016, Direção James Ramsay Cameron, documentário, áudio Português e Inglês, com legendas em Português, 55 min - História de uma das minas de urânio mais antigas do mundo, as Minas da Urgeiriça, no norte de Portugal, formalmente registada em 1915. Em plena Segunda Guerra Mundial, o urânio era vendido ao governo britânico, que passou a controlar a mina entre 1945-62, produzindo „yellow cake“ para as suas bombas atómicas e atraindo a atenção de espiões soviéticos. O ditador Salazar usou as minas como foco das suas ambições em transformar Portugal em potência nuclear. Após a Revolução de 25 de Abril de 1974, a mina foi forçada a tornar-se economicamente auto-suficiente e encontrou Saddam Hussein como cliente. O filme conta a história através de raras imagens de arquivo e das vozes daqueles que viveram e trabalharam na Urgeiriça. Com presença do James Ramsay Cameron.
 
Apresentação, diapositivos, sobre a atividade mineira após 1962, Associação dos Ex-Trabalhadores das Minas de Urânio (ATMU)
 
Debate: “Os efeitos da falta de segurança na exploração mineira durante os cem anos de atividade e suas consequências”.  Mesa Redonda com António Minhoto, Presidente da ATMU e o realizador do filme, James Ramsay Cameron. 
 
12h30 - Almoço 
14h30 - Sessão de filmes  

YELLOWCAKE 

EUA, 2009, Direção Brock Williams, documentário, Inglês com legendas em Português, 10 min - Da exploração à produção do combustível nuclear, esta curta-metragem relata a contaminação, o alto consumo de água, a produção de resíduos tóxicos e radioativos, os custos do contribuinte norte-americano com os subsídios do governo, os impactos na saúde e as emissões de CO2 que são causados pelo ciclo do combustível nuclear. Cada fase tem o seu próprio impacto de devastação ao meio ambiente e à população, no aspeto socioeconómico, da saúde e da segurança. Este filme lança um olhar mais profundo sobre factos que são, frequentemente, deixados de lado, do começo ao fim da produção do combustível nuclear.

BUDA CHORA EM JADUGODA (BUDDHA WEEPS IN JADUGODA) 

Índia, 1999, Direção Shri Prakash. Documentário, Inglês com legendas em Português, 52 min -  Em Jadugoda, povoada pelos Adivasi, existe por decadas a única mina de urânio da Índia. O filme documenta os efeitos devastadores da exploração de urânio provocados pela Corporation of India Limited. Durante os últimos 30 anos, os rejeitados radioativos foram despejados na região e nos campos de arroz dos Adivasis. A agência governamental de exploração de urânio não faz nada para proteger a vida das pessoas e o meio ambiente daquela área. A falta de segurança na exploração de urânio tem resultado em radiação excessiva, provocando mutações genéticas e originando morte lenta. Relatórios médicos revelam que o impacto da radiação sobre o povo indígena está a ser devastador.  

YELLOW CAKE. THE DIRT BEHIND URANIUM (A SUJEIRA POR DETRÁS DO URÂNIO) 

Alemanha, 2010/2014, Direção Joachim Tschirner, documentário, Inglês, legendas em Português, 35 min - A terceira maior mina de urânio do mundo estava localizada nas províncias do leste alemão da Saxónia e Turíngia. Essa exploração recebeu o nome de mina de bismuto (Wismut) para encobrir a verdadeira finalidade. Controlada pela URSS, funcionou até a Reunificação com a Alemanha Ocidental. Até 1990, Wismut forneceu 220 mil toneladas de urânio à União Soviética. Em termos absolutos, essa quantidade foi suficiente para a produção de 32 mil bombas de Hiroshima. O foco principal do filme é a desativação da Wismut. Com a reunificação alemã, o governo fechou esta mina de urânio e começou a “limpar” a sua herança radioativa. Foi a primeira tentativa no mundo de fazer o tratamento correto de uma mina de urânio, minimizando os impactos ambientais destas montanhas e lagoas cheias de rejeitados radioativos e tóxicos. Até hoje, a Alemanha gastou mais de seis biliões de euros neste processo de desativação. www.yellowcake-derfilm.de 
 
Debate: “Os efeitos da atividade das minas de urânio no meio ambiente” Mesa Redonda com Nuno Sequeira, Vice-Presidente da QUERCUS e Pedro Baila Antunes, Professor no Instituto Politécnico de Viseu e Alphonse Kelecom, Professor do Laboratório de Radiobiologia e Radiometria do Instituto de Biologia da Universidade Federal Fluminense.
 
17h30 - Bombas Atómicas Perdidas na Espanha 

OPERACIÓN FLECHA ROTA. ACCIDENTE NUCLEAR EN PALOMARES (OPERAÇÃO FLECHA QUEBRADA. ACIDENTE NUCLEAR EM PALOMARES, ESPANHA)

Espanha, 2007, Documentário, Direção Jose Herrera Plaza. Produção: Antonio Sánchez Picón. Áudio em Espanhol e Inglês, legendas em Português, 96 min - Dois aviões americanos colidiram em  janeiro de 1966 e caíram em Palomares (Almería), na Espanha, com quatro bombas poderosas de hidrogénio, Bombas H. Duas bombas explodiram a sua carga convencional, o que fez com que o material radioativo se espalhasse sem controlo, devido ao vento forte. Na época, iniciou-se a descontaminação parcial da área e a investigação da contaminação residual sobre as pessoas e o meio ambiente, no denominado "Projeto Indalo". 
Declaração do Diretor: Durante meio século, 1.500 seres humanos têm vivido enganados e rodeados de vários quilos de plutónio espalhados pelo vento e pela chuva no Mediterrâneo e ao seu redor. Esta é a história de uma mentira que nasceu durante a Guerra Fria, a ditadura de Franco e a génese da indústria nuclear em Espanha. Uma história ainda viva, aberta, à procura de uma solução final. Com a presença do diretor do filme, José Herrera Plaza. 
 
Debate: “A importância da cidadania em defesa dos direitos laborais, sociais e ambientais”. Mesa Redonda com um membro da ATMU e José Manuel Mendes, Professor da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. 
 
21h00 –  Jantar de confraternização entre os participantes na Urgeiriça. Evento teatral e musical pelo grupo ACERT - Tondela.
 

MANGUALDE - DOMINGO, 15 DE SETEMBRO DE 2019 

 
9h00 – Abertura – Presidente da Câmara Municipal de Mangualde. Local: Auditório da Biblioteca Municipal
9h30 - Sessão de filmes 
 
APRESENTAÇÃO DE FILMAGENS DOS TRABALHOS DA RECUPERAÇÃO DAS MINAS DE URÂNIO
Empresa De Desenvolvimento Mineiro (EDM) 

O RISCO DE UM BRUMADINHO RADIOATIVO 

Brasil, 2019, Produção Uranium Film Festival, português, 10 min - Uma colagem de reportagens recentes sobre a primeira mina de urânio do Brasil, em Poços de Caldas, Minas Gerais, e seus rejeitados radioativos. As barragens de Caldas são seguras ou há um risco eminente de um Brumadinho  radioativo? 

CIDADE RADIOATIVA 

Brasil, 2017, Direção Marcello Marques, Produção Elisângela Guanaíra, Português, 26 min - A cidade de Caetité fica a 650 quilômetros de Salvador (BA). Nela encontra-se uma das maiores reservas de urânio do mundo, mineral que alimenta as centrais nucleares de Angra 1 e Angra 2 e considerado altamente perigoso quando concentrado. “O Ambientalista” foi até o local para ouvir a população, que vive preocupada com a eficiência da fiscalização da qualidade da água da região, considerada contaminada. Essa suspeita já levou ao encerramento de vários poços  artesianos. 

HALF LIFE: THE STORY OF AMERICA’S LAST URANIUM MILL (MEIA VIDA: A HISTÓRIA DO ÚLTIMO MOINHO DE URÂNIO DA AMÉRICA) 

EUA, 2016, Direção Justin Clifton, documentário, Inglês, com legendas em Português, 12 min - No sudeste de Utah, não muito longe de muitos dos famosos parques nacionais dos EUA, encontra-se o último moinho de urânio da América. Depois de mais de 36 anos em operação, os líderes da comunidade de White Mesa, na vizinha Ute Mountain Ute Tribe, temem que regulamentações frágeis e infraestruturas antigas estejam a colocar em risco o abastecimento de água e o seu modo de vida. “Half Life” é projetado para chamar a atenção para as contínuas contaminações e falhas regulatórias na central de White Mesa, e para o papel da fábrica como uma pedra angular na indústria de urânio. 

YELLOW CAKE. A SUJEIRA POR DETRÁS DO URÂNIO (CURTA-METRAGEM)

Alemanha, 2010/2014, Direção Joachim Tschirner, documentário, Inglês, legendas em Português, 35 min - A mina de Wismut, na Alemanha Oriental, foi a terceira maior mina de urânio do mundo. Com a reunificação alemã, o governo fechou a mina e começou a “limpar” esta herança radioativa. Foi a primeira tentativa no mundo de fazer o tratamento correto de uma mina de urânio, minimizando os impactos ambientais destas montanhas e lagoas cheias de rejeitados radioativos e tóxicos. Ainda pouca gente sabe de onde vem o minério que alimenta a nossa Era Nuclear, por isso este filme é fundamental para informar e educar o mundo. www.yellowcake-derfilm.de
 
Debate: “A recuperação ambiental das minas de urânio em Portugal”. Mesa Redonda com ATMU, EDM, Alcides Pereira, Professor do Departamento de Ciências da Terra da Universidade de Coimbra. 
 
12h30 - Almoço
14h00 – Visitas técnicas guiadas pela EDM à Mina da Cunha Baixa (recuperada) e Mina da Quinta do Bispo (em recuperação).
 

URGEIRIÇA - Domingo, 15 de SETEMBRO DE 2019

 
17h30 - Sessão de filmes 

DECISÃO PARA O FUTURO

Brasil, Alemanha, 2019, Direção Norbert G. Suchanek, Produção Márcia Gomes de Oliveira, documentário, Português, 20 min - Nisa, uma linda vila ao norte do Alentejo, em Portugal. Nas portas de Nisa, há uma grande jazida de urânio, mas a população decidiu deixar o urânio no chão, em favor de um desenvolvimento baseado nos produtos naturais da região, como carne de boi, cabra e ovelha, leite, queijos, linguiças, presuntos e azeitonas. Quando uma empresa australiana se interessou em começar a mineração, o movimento local „Urânio em Nisa Não“ influenciou a Prefeitura e os deputados do Concelho a declarar que nunca será permitido explorar urânio na região.  Por isso, em 2012, Nisa e seu movimento „Urânio em Nisa Não“ receberam o prêmio international para um futuro sem energia nuclear, chamado „Nuclear-Free Future Award“.

Uranium - Twisting the Dragon’s Tail (Urânio – Torcendo a Cauda do Dragão,  Episódio 1: A rocha que se tornou uma Bomba) 

Austrália, 2015, Direção, Wain Fimeri, Produção Sonya Pemberton. Documentário, Inglês com legendas em Português, 51 min - Na viragem para o século XX, o urânio era praticamente desconhecido e, basicamente, inútil. Dr. Derek Muller embarcou numa aventura para revelar como, em apenas uma única geração, o urânio se transformou na rocha mais valiosa e aterrorizante da Terra. As descobertas de cientistas como Marie Curie, Ernest Rutherford e Albert Einstein, que desvendaram os segredos do átomo de urânio, e nos permitiu perscrutar a própria natureza do universo. Então, numa manhã clara na cidade de Hiroshima, o urânio veio desencadear um terrível poder e mudar o mundo para sempre. “Fiquei fascinado. Esse é o melhor documentário que eu pude ver até hoje sobre a história da descoberta da radioatividade até a produção da bomba nuclear e rudimentos da Física Nuclear.” Professor Dr. Alphonse Kelecom, jurado do Uranium Film Festival. 
 
Debate: “Os efeitos da radiação da atividade mineira de urânio em Portugal e no Mundo”. Mesa Redonda com ATMU, AZU, QUERCUS, Stop Urânio, MUNN e MIA. 
 
19h30 - Apresentação da súmula dos debates por João Paiva, Doutorando em História Militar e Doctora Catarina Minhoto (Secretária da Assembleia Geral da ATMU)
 
ENCERRAMENTO
 
 
CONTACTOS 
 
ATMU - Associação dos Ex-Trabalhadores das Minas de Urânio
António Minhoto, Presidente da ATMU
Email: atmu@sapo.pt
 
International Uranium Film Festival 
Márcia Gomes de Oliveira, Diretora Executiva 
Rua Monte Alegre 356 / 301
Santa Teresa / Rio de Janeiro / RJ
CEP20240-195 /Brasil 
www.uraniumfilmfestival.org
Email: info@uraniumfilmfestival.org
Tel: (0055) (21) 2507 6704 - (0055) (21) 97207 6704