Berlim 2018 - Os Vencedores

Tony West in Berlin

International Uranium Film Festival do Rio pela sétima vez em Berlim - Troféu do Uranium Film Festival honra cineastas e personalidades que revelam a história e os riscos da Era Atômica

Este ano, Portugal foi um dos destaques do Uranium Film Festival em Berlim. O ex-minerador de Portugal, António Minhoto, ganhou o prêmio de honra do festival durante a Cerimônia de Premiação, no dia 14 de Outubro de 2018. António Minhoto luta por três décadas para a compensação dos trabalhadores das minas de urânio da Urgeiriça, e de suas famílias, e para a recuperação ambiental das minas", explica a diretora do Uranium Film Festival, Márcia Gomes de Oliveira. Junto com o ex-mineiro, o cineasta escocês Ramsay Cameron recebeu o prêmio de melhor filme na categoria Pesquisa de Arquivo. O filme de Cameron, "Cem anos de Urgeiriça", usou rico material de arquivo e depoimentos, revelando a importante participação da mina de Urânio no programa das primeiras bombas nucleares dos EUA e da Inglaterra. "É um filme excelente para abrir nossos olhos sobre a história desta mina de Urânio no centro-norte de Portugal, que é uma das mais antigas do mundo e que foi explorada primeiro pelos ingleses para fornecer radio para o laboratório de Marie Curie e depois com participação do governo dos Estados Unidos para o Programa Manhattan", disse a diretora do festival.

Além de Ramsay Cameron, outros cineastas receberam o troféu "Einstein Amarelo" do festival, uma obra de arte exclusiva criada pelo artista do Rio de Janeiro, Getúlio Damado, cuja matéria-prima de cada peça é única e provém da reciclagem do lixo do famoso bairro artístico de Santa Teresa, no Rio. A cabeça do "Einstein Amarelo" é feita de relógio quebrado e faz referência à destruição atômica de Hiroshima e Nagasaki. Quando a bomba atômica explodiu sobre Hiroshima em 6 de agosto de 1945, os relógios de Hiroshima pararam exatamente às 8:15 da manhã, assim como os relógios de Nagasaki pararam em 9 de agosto do mesmo ano, às 11:02 da manhã.

O International Uranium Film Festival foi criado em 2010, no Rio de Janeiro, e aconteceu pela sétima vez em Berlim com apoio do Ministério do Meio Ambiente e Segurança Nuclear da Alemanha e com a participação do deputado federal Klaus Mindrup de Berlim. Também esteve presente na cerimônia de premiação, o representante da Embaixada de Portugal, Sr. Rui Vicente de Azevedo, Coordenador do Ensino Português na Alemanha, Instituto Camões. De 09 a 14 de Outubro, o festival mostrou 21 filmes de 11 países nos cinemas do Kulturbrauerei e do Zeiss-Grossplanetarium em Berlim, Prenzlauer Berg. No Rio de Janeiro, a 8ª edição do festival aconteceu de 08 a 10 de Junho, na Cinemateca do Museu de Arte Moderna (MAM Rio) e contou com o apoio da Escola Técnica Estadual Adolpho Bloch, pertencente à Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro FAETEC.

Depois de Berlim, o festival do Rio viaja para o sudoeste dos Estados Unidos. De 29 de Novembro a 12 de Dezembro de 2018, o Uranium Film Festival vai acontecer na capital Navajo Nation Window Rock, Flagstaff, Grants, Albuquerque, Santa Fe e Tuscon.

Filmes vencedores do International Uranium Film Festival em Berlim 2018

Uranium Film Festival Berlin 2018 Winner

Melhor Pesquisa de Arquivo

ONE HUNDRED YEARS OF URGEIRIÇA - CEM ANOS DE URGEIRIÇA

Reino Unido/Portugal, 2016, Diretor Ramsay Cameron, Produtor Molitor Productions, documentário, Inglês / Português, com legendas em alemão 52 min - O filme conta a história dos 100 anos de história das Minas da Urgeiriça no norte de Portugal. Urgeiriça foi uma das primeiras minas de urânio a enviar material radioativo para a pesquisadora nuclear Marie Curie, em Paris. Durante a Segunda Guerra Mundial, os governos britânico e americano reconheceram sua importância estratégica e investiram pesadamente nela para fornecer combustível nuclear para suas bombas nucleares. Mais tarde, Portugal assumiu as minas e o ditador Salazar sonhou em construir uma indústria nuclear portuguesa.

Melhor Curta-Metragem

ANOINTED  (UNGIDO)

Ilhas Marshall, 2018, Diretores Dan Lin e Kathy Jetnil-Kijiner, vídeo poema, inglês, 6 min - Um poema poderoso sobre o legado dos testes nucleares dos Estados Unidos nas Ilhas Marshall, no Pacífico. A história de um povo em chamas:  “Aqui está uma história de como fomos enganados e das mentiras que nos disseram. Quem lhes deu esse poder? Quem os ungiu com o poder de queimar?” Palavras fortes da poetisa Kathy Jetñil-Kijiner, filha das Ilhas Marshall - como ela mesma se apresenta. Sua terra natal, no Pacífico Sul, serviu de área de teste nuclear dos Estados Unidos. Entre 1946 e 1958, explodiram 67 bombas atômicas sobre a cabeça do seu povo. "Deve haver mais do que árvores incineradas, uma cúpula rachada, um lixo nuclear vazando sem cercas, deve haver mais do que uma concha de concreto que abriga a morte", diz o poema. http://www.danlinphotography.comhttps://www.kathyjetnilkijiner.com

Melhor Animação

Freddy and Fuzmo Fix The World (Freddy e Fuzmo Consertam o Mundo) (Freddy und Fuzmo reparieren die Welt)

Reino Unido, 2018, Diretores e Produtores Christopher Murray, Luke Biddiscombe, Mikel Iriarte, Matt Rose, Laura Johnson. Animação de Muppet, 27 min, Inglês - Dezenove meses depois de ter sido enviado à Terra para consertar os problemas do mundo, Fuzmo, um alienígena onipotente, cansado da máquina, perdeu toda a motivação e agora vive em um estilo de vida guloso e letárgico, seduzindo seu bem-humorado colega de quarto Freddy. Em um esforço para ser produtivo, Freddy, de vinte e poucos anos, tenta persuadir Fuzmo a criar a paz mundial.

Prêmio do Júri de Melhor Doc Arte

Dignity at a Monumental Scale (Dignidade em Escala Monumental)

EUA, 2018, diretora e produtora Kelly Whalen, documentário de arte, inglês, 8 min - O médico Chip Thomas (também conhecido como Jetsonorama) viveu por muitos anos na região de Four Corners, no sudoeste dos EUA, e tratou as vítimas da mineração de urânio. Ele era conhecido pelos navajos como um "curador de um tipo diferente". Anos depois, ele trouxe suas fotos, imagens da vida cotidiana dos navajos de volta à região de Four Corners e montou-as em uma escala monumental em prédios abandonados, antigos outdoors e torres de água. Quando fotos da vida cotidiana Navajo e o legado da mineração de urânio em suas terras começaram a aparecer em escala monumental foi uma surpresa para muitos na comunidade descobrir que era o trabalho do médico Dr. Chip Thomas.

Prêmio Júri Popular de Melhor Documentário

Atomic Homefront

EUA, 2017, Diretora e Produtora Rebecca Cammisa, Produção James B. Freydberg & Larissa Bills, 96 min, Documentário, Inglês. A cidade de St. Louis tem uma história nuclear pouco conhecida, com um centro de processamento de urânio do Projeto Manhattan. Em 1973, cerca de 47.000 toneladas de lixo radioativo foram ilegalmente enterradas em um aterro chamado West Lake. Nos últimos sete anos, um incêndio subterrâneo descontrolado se espalhou para esse depósito de lixo nuclear. O filme é um estudo de caso sobre como os cidadãos estão lutando para manter suas famílias seguras.

Prêmio Jovem Cineasta

URANIUM DERBY 

EUA, 2017, diretor Brittany Prater, documentário, inglês, 83 min - Uma jovem investiga o envolvimento secreto de sua cidade natal no Projeto Manhattan e desencadeia uma reação de encontros, através da qual fica claro que o tema do lixo nuclear foi enterrado com mais sucesso do que o próprio lixo.

Prêmio de Honra

António Minhoto, Portugal

António Minhoto, nascido em 1952, em Portugal, ex-trabalhador das minas da Urgeiriça. Ele criou a associação ambientalista AZU (Ambiente em Zonas Uraníferas) e a ATMU (Associação dos Antigos Trabalhadores das Minas da Urgeiriça), cuja missão é lutar em prol dos direitos de quem laborou na exploração do urânio. Hoje o líder da ATMU é também coordenador do MIA - Movimento Ibérico Anti-Nuclear. Ele trabalha incansavelmente para dar dignidade às vítimas da mineração de Urânio em Portugal e para que a história desta mineração e seus efeitos ao ambiente não sejam esquecidos. 170 trabalhadores da Urgeiriça já morreram e há outras vítimas a acontecer diariamente, por doenças oncológicas.

Reconhecimento especial

Too Precious to Mine (Demasiado Precioso para ser Minerado)

EUA, 2017, Diretor Justin Clifton, Documentário, Inglês, 10 min - Salve o Grand Canyon: O povo Havasupai depende das suas águas azuis-esverdeadas. Mas agora o maior desfiladeiro do mundo está ameaçado com a mineração de urânio. A existência e o modo de vida dos Havasupai estão em perigo. 

The Safe Side of the Fence (O lado seguro da cerca)

EUA, 2015, diretor Tony West, documentário, inglês, 108 min. O Projeto Manhattan da Segunda Guerra Mundial exigia o refinamento de grandes quantidades de urânio e a empresa Mallinckrodt Chemical Works, de St. Louis, assumiu o trabalho. Como resultado, os empregados da empresa química se tornariam alguns dos trabalhadores nucleares mais contaminados da história. St. Louis não é um caso isolado nos EUA, mais de 300 empresas e locais faziam parte da corrida nuclear. 

KUANNERSUIT / KVANEFJELD 

Reino Unido/Dinamarca 2017, Diretores Joshua Portway e Lise Autogena, Produtor Lise Autogena, Documentário, dinamarquês e groenlandês com legendas em inglês, 30 min - O filme é o primeiro de um estudo de longo prazo realizado por artistas sobre conflitos nas comunidades indígenas de Narsaq, no sul da Groenlândia. Em Narsaq fica a montanha Kvanefjeld, com um dos maiores depósitos de urânio e terras raras do mundo. A Groenlândia é uma antiga colônia dinamarquesa que ainda é financeiramente apoiada pelo Estado dinamarquês. Muitas pessoas na Groenlândia veem a exploração de depósitos minerais como a única maneira de completar a independência. Mas a mineração de urânio planejada ameaça a agricultura da Groenlândia perto de Kvanefjeld. A mina seria a quinta maior mina de urânio do mundo. O filme mostra uma comunidade que lida com o tema da mineração de urânio e examina as difíceis decisões dos groenlandeses que querem escapar de um passado colonial e se definirem em um mundo globalizado. 

UNSILENCED: Anti-Nuclear Movement in Turkey (Não Silenciado: Movimento Anti-Nuclear na Turquia)  

Turquia / Japão, 2017, Diretor Takuya MORIYAMA, 36 minutos, Turco com legendas em Inglês - Em abril de 2018, a Turquia iniciou a construção de sua primeira usina nuclear. Outras usinas nucleares estão sendo planejadas. Na Turquia existe um movimento anti-nuclear que não pode ser calado, porque o acidente de Chernobyl em 1986 também chegou à Turquia. Seis anos após o acidente de Fukushima, um jovem cineasta japonês analisou o movimento antinuclear na Turquia.

Mais informações:

International Uranium Film Festival
www.uraniumfilmfestival.org
info@uraniumfilmfestival.org
Rua Monte Alegre 356 / 301 Santa Teresa / Rio de Janeiro / RJ
CEP 20240-195 / Brasil
(00 55 21) 2507 6704; 97207 6704
 
Fotos:
 
1. António Minhoto e a fundadora do festival Márcia Gomes de Oliveira, durante a entrega do troféu Menção Honrosa Uranium Film Festival Berlim - 14 de outubro de 2018, no Zeiss-Grossplanetarium.
2. Vencedores e personalidades na Cerimônia de Premição do Uranium Film Festival Berlim - 14 de outubro de 2018, no Zeiss-Grossplanetarium. Na extrema esquerda: António Minhoto e Coordenador Rui Vicente de Azevedo, Instituto Camões.
 
Programaçao Berlim 2018